O Filho Eterno

[Download] ➺ O Filho Eterno Author Cristovão Tezza – Johndore.co.uk
  • Paperback
  • 222 pages
  • O Filho Eterno
  • Cristovão Tezza
  • Portuguese
  • 07 October 2019
  • 8501077887

About the Author: Cristovão Tezza

Cristov o Tezza nasceu em Lages, Santa Catarina, em 1952, mas mudou se para Curitiba ainda quando crian a considerado um dos mais importantes autores da literatura brasileira contempor nea Al m de escritor, com mais de uma dezena de livros publicados, leciona na UFPR autor, entre outros, de Trapo, O fantasma da inf ncia, Aventuras provis rias, Breve espa o entre cor e sombra Pr mio Machado de Assis Biblioteca Nacional de melhor romance de 1998 e O fot grafo pr mios da Academia Brasileira de Letras e Bravo de melhor romance do ano A publica o do in dito O filho eterno marca seu retorno Record O livro venceu os mais importantes pr mios liter rios do pa s primeiro lugar no Pr mio Portugal Telecom de Literatura em L ngua Portuguesa, como melhor livro do ano, venceu o Pr mio Bravo Prime de Cultura, na mesma categoria Foi escolhido tamb m melhor romance pela Associa o Paulista dos Cr ticos de Arte Apca e ganhou o Jabuti de melhor romance Al m do Pr mio S o Paulo de Literatura.


O Filho EternoEm O Filho Eterno , Tezza Exp E As Dificuldades, In Meras, E As Saborosas Pequenas Vit Rias De Criar Um Filho Com S Ndrome De Down Aproveita As Quest Es Que Aparecem Pelo Caminho Nestes 26 Anos De Seu Filho Felipe Para Reordenar Sua Pr Pria Vida A Experimenta O Da Vida Em Comunidade Quando Adolescente, A Vida Como Ilegal Na Alemanha Para Ganhar Dinheiro, As Dificuldades De Escritor Com Trinta E Poucos Anos E Alguns Livros Na Gaveta, A Pretensa Estabilidade Com O Cargo De Professor Em Universidade P Blica.

You may also like...

10 thoughts on “O Filho Eterno

  1. Belinda says:

    3,50 sterren Een kind met het syndroom van down In de jaren tachtig De vader weet niet wat hem de komende tijd te wachten staat Hij heeft de grootste zorgtaak omdat de moeder full time werkt en hij zijn tijd kan indelen als schrijver Je ziet de strijd die vader heeft met zichzelf en hoe de buitenwereld tegen zijn oudste kind aankijkt Daarnaast is er ook nog het gevecht om zijn zoon de best mogelijke ontwikkelingskansen te geven Indrukwekkend verhaal Hier en daar wel wat literair wat de 3,50 sterren Een kind met het syndroom van down In de jaren tachtig De vader weet niet wat hem de komende tijd te wachten staat Hij heeft de grootste zorgtaak omdat de moeder full time werkt en hij zijn tijd kan indelen als schrijver Je ziet de strijd die vader heeft met zichzelf en hoe de buitenwereld tegen zijn oudste kind aankijkt Daarnaast is er ook nog het gevecht om zijn zoon de best mogelijke ontwikkelingskansen te geven Indrukwekkend verhaal Hier en daar wel wat literair wat de diepte van het verhaal overschaduwd

  2. Luiza says:

    Um livro estranho Embora tenha sido simples de ler levei menos de 3 dias , a hist ria n o me tocou como eu achei que tocaria Me interessei pelo tema a vida dificuldades de se criar um filho com S ndrome de Down , mas fui lendo, lendo, e nos primeiros 70% do livro o foco muito mais na inseguran a imaturidade do pai do que no filho em si n o falo aqui de inseguran a apenas quanto ao filho com Down, mas sim inseguran a de ser adulto As ltimas 50 p ginas foram mais de acordo com Um livro estranho Embora tenha sido simples de ler levei menos de 3 dias , a hist ria n o me tocou como eu achei que tocaria Me interessei pelo tema a vida dificuldades de se criar um filho com S ndrome de Down , mas fui lendo, lendo, e nos primeiros 70% do livro o foco muito mais na inseguran a imaturidade do pai do que no filho em si n o falo aqui de inseguran a apenas quanto ao filho com Down, mas sim inseguran a de ser adulto As ltimas 50 p ginas foram mais de acordo com minha expectativa inicial, e da o livro ficou bem mais interessante, com timas reflex es a respeito das limita es e diferen as que existem quando seu filho tem Down.Se for esquecido do que se trata o livro, talvez se goste mais dele O autor escreve de forma realmente sentirmos a enxurrada de pensamentos que nos vem mente, nossos devaneios, nossas ang stias, a vergonha dos outros, etc N o rolou o clique comigo, mas quem sabe com outros role

  3. Mdaly says:

    I wanted to like this book but in the end I suffered it The unsung hero heroine of this book is the wife, she hardly gets a mention yet one gets the impression from this book that she kept the family together when the author seemed to be maintaining a pretty juvenile attitude throughout the book His son is about 25 by the end of the book yet the father still does not seem to have come to terms with his son s intellectual disability Perhaps it should be applauded for his honesty but I had hop I wanted to like this book but in the end I suffered it The unsung hero heroine of this book is the wife, she hardly gets a mention yet one gets the impression from this book that she kept the family together when the author seemed to be maintaining a pretty juvenile attitude throughout the book His son is about 25 by the end of the book yet the father still does not seem to have come to terms with his son s intellectual disability Perhaps it should be applauded for his honesty but I had hoped for some uplifting epiphany which is why I kept reading despite the vaguely nihilistic outlook of the author Also I would have liked to hearabout the son than the vignettes we got in this book

  4. Ana Moraes says:

    Esse escritor faz m gica com as palavras, esse livro est me doendo na alma, genial, sem mais. tem mais Terminado, quase consigo afirmar que um dos melhores da minha vida, digo quase porque foram tantos. mas com certeza entre os melhores Foi uma jornada incr vel e quase sinto pesar por j ter lido e n o ser capaz de ler essa hist ria pela primeira vez. queria, nesse momento, ter o dom do esquecimento e viver essa hist ria de novo, pela primeira vez ganhou a minha alma, que chorou, Esse escritor faz m gica com as palavras, esse livro est me doendo na alma, genial, sem mais. tem mais Terminado, quase consigo afirmar que um dos melhores da minha vida, digo quase porque foram tantos. mas com certeza entre os melhores Foi uma jornada incr vel e quase sinto pesar por j ter lido e n o ser capaz de ler essa hist ria pela primeira vez. queria, nesse momento, ter o dom do esquecimento e viver essa hist ria de novo, pela primeira vez ganhou a minha alma, que chorou, doeu, sorriu e acabou encantada pela maestria desse escritor

  5. Mariana Klober da Silveira says:

    O Livro Eterno

  6. Paulo Sousa says:

    Livro lido 4 Jun 32 2017T tulo O filho eternoAutor Cristov o TezzaAno de publica o 2007Editora grupoeditorialrecordP ginas 222Minha classifica o _______________________________________________O homem tem grandes expectativas no nascimento do primeiro filho Mas o diagn stico, inesperado e avassalador, coloca o em choque gerando um paralelo existencial que sabe, durar o resto da vidaLogo de chofre somos imergidos na trama deste livro maravilhoso, de autoria do catarinense Livro lido 4 Jun 32 2017T tulo O filho eternoAutor Cristov o TezzaAno de publica o 2007Editora grupoeditorialrecordP ginas 222Minha classifica o _______________________________________________O homem tem grandes expectativas no nascimento do primeiro filho Mas o diagn stico, inesperado e avassalador, coloca o em choque gerando um paralelo existencial que sabe, durar o resto da vidaLogo de chofre somos imergidos na trama deste livro maravilhoso, de autoria do catarinense Cristov o Tezza A prosa em terceira pessoa vai delineando o drama e os dissabores em que vive um escritor menor cujo nascimento do filho com S ndrome de Down vem acrescentar ainda mais incertezas quanto ao seu futuro.Incertezas, vergonha, desconhecimento, preconceito, diversos os temas inseridos nesse livro n o t o grande que, maestria do escritor torna O filho eterno um de meus livros favoritos, a magn fica prosa de Tezza vai levando o leitor facilmente por ambientes paralelos onde o pai, imerso na sua pr pria trajet ria, vai buscando entender como lidar com a cria o do filho Desde suas idas e vindas por uma Europa e, sobretudo Portugal, que vivia os dias da Revolu o dos Cravos, at as v rias tentativas de escrever um romance original, o pai vai tentando conviver com a dif cil adapta o do filho principalmente sua vida pr pria As emo es, diversas as incertezas, muitas Mas vamos percebendo que o pai, mesmo muitas vezes tomado de espanto advindo de alguma nuance do filho imperfeito , consegue enfim compreender a liga o perp tua entre ele e seu rebento, compreende afinal que o mais certo o incerto que os margeiam, os guiam e os levar o em frente.De uma beleza incomum, a po tica prosa do livro de Cristov o Tezza um romance triste e l gubre Mas as emo es que consegue desencadear fruto da alta qualidade da literatura desse que, n o tenho d vida, pode ser marcado como meubrasileirofavorito

  7. Paulo Polzonoff says:

    N o vou falar do estilo Cristov o Tezza escreve com maestria Raros s o os escritores brasileiros hoje que cuidam com tanto esmero do texto As palavras s o exatas o ritmo das frases n o tem falhas n o se encontra, nas mais de duzentas p ginas do livro, qualquer sinal de desleixo O escritor reverente para com a escrita E, talvez por isso mesmo, tenha produzido seu mais intrigante e emocionante trabalho.A ficha catalogr fica de O Filho Eterno, clara trata se de um romance Mas h elemen N o vou falar do estilo Cristov o Tezza escreve com maestria Raros s o os escritores brasileiros hoje que cuidam com tanto esmero do texto As palavras s o exatas o ritmo das frases n o tem falhas n o se encontra, nas mais de duzentas p ginas do livro, qualquer sinal de desleixo O escritor reverente para com a escrita E, talvez por isso mesmo, tenha produzido seu mais intrigante e emocionante trabalho.A ficha catalogr fica de O Filho Eterno, clara trata se de um romance Mas h elementos autobiogr ficos ali O autor, assim como o personagem, escritor ambos t m um filho com S ndrome de Down os dois ainda compartilham outros aspectos da vida, como a atividade de professor e a torcida pelo Atl tico Paranaense Onde, ent o, est o elemento fantasioso, que tira o livro da prateleira das autobiografias para coloc lo na se o de fic o preciso, neste caso, entender a literatura como um exerc cio de fabula o Esta a ess ncia de tudo Ao desafiar estes limites, Cristov o Tezza, em O Filho Eterno, acaba por esfregar na cara dos leitores a mediocridade deles Os que leem como um relato confessional se deixam manipular pelo pr prio desejo de saber da vida alheia um dos mais nocivos cancros da nossa poca Como relato autobiogr fico, o romance tem vida til curt ssima na percep o de que o pai sem nome t o somente personagem que a grande qualidade do livro aparece.Escrever um exerc cio de imagina o Isto deveria ser bvio, mas n o Menos bvio ainda que ler tamb m um exerc cio de imagina o Que falta aos nossos leitores Eu mesmo conhe o pessoas que acreditam que qualquer hist ria seja verdade Elas buscam esta verdade, porque n o suportam o peso da fic o Ora, se h gente que l Cem Anos de Solid o como um livro autobiogr fico Trata se de um fen meno do nosso tempo a pessoa mais importante do que a obra, qualquer obra.O Filho Eterno, ao se assumir como romance, acaba fazendo uma confus o danada neste terreno Ent o o autor um personagem , se pergunta o leitor atento Ent o a vida n o passa de uma inven o, um encadeamento de fatos que a gente vai contando como nos conv m, porque somos criadores de nossas pr prias exist ncias Esta, contudo, a primeira das boas ambiguidades de O Filho Eterno Abrir se a ela descobrir o maravilhoso mundo ficcional existente em todos os momentos, em todas as lembran as, registradas em livros ou n o Outro ponto atraente deste belo livro o seu mote o filho com S ndrome de Down.Ele , de fato, o ponto de partida para que o pai sem nome conte a sua hist ria Mas interessante perceber como, aos poucos, o filho vai perdendo import ncia na hist ria Ou, por outra, vai cedendo lugar a outro filho que , na verdade, a condi o eterna do pai Assim, o pai acaba por se projetar na figura do filho de tal modo que assume seu lugar Ele tamb m deficiente, com uma falha gen tica que n o aparece no exame dos cromossomos O Filho Eterno um acerto de contas com esta condi o, com esta doen a, esta s ndrome sem nome, para a qual n o h escolas especiais nem tampouco o olhar, entre o preconceito e a condescend ncia, da sociedade.O pai jamais deixou de ser um filho em busca de um pai.Este conflito come a a se desenvolver logo no parto Naquela que talvez a mais marcante cena do livro, o personagem descobre, de uma s vez, que pai e pai de um filho deficiente, cuja exist ncia depender dele As p ginas que se seguem s o fortes Rebelando se contra esta queda, o pai deseja a morte do filho e nela enxerga n o s a liberdade, como tamb m o retorno condi o eterna que lhe est sendo roubada Ao contr rio de dipo, o pai n o fura os olhos ou se exila A vida n o lhe d esta oportunidade Ele simplesmente continua sua busca que, afinal, anterior ao nascimento do filho , agora na condi o dupla que lhe cabe.Este pai filho vai buscar na mem ria a cura inexistente para a s ndrome palp vel Ele um her i procura da sua origem Ao refazer mentalmente a trajet ria que o levou at o ponto de ruptura o filho real, eternamente dependente, que lhe tomou tal posi o acaba por reencontrar velhos sonhos desfeitos, mitos perdidos, cenas de um desconsolo avassalador, como uma excurs o teatral em S o Paulo onde tudo d errado, daquele jeito pequeno que nos aniquila.S o muitos os pais que o filho eterno buscou em sua vida A literatura foi um deles embora o fato de literatura ser um substantivo feminino nos fa a pensar nela como m e o ex lio, outro teve ainda os ideais socialistas o l der hippie numa comunidade alternativa foi mais um O Filho Eterno o relato desta jornada que culmina com a aceita o de que o filho desprovido eternamente de pai pode, ele tamb m, ser pai Uma coisa n o impede a outra.Cristov o Tezza, habilmente, constr i um mundo fundado na realidade, mas cheio de elementos fantasiosos A m e, por exemplo, some da hist ria Ele d a luz ao filho e assim parece cumprir seu papel, caindo num limbo para os quais poucos d o aten o, simplesmente porque o livro o choro eterno do filho idem A outra filha do pai tamb m se perde no romance, como um personagem que s serve para perguntar as horas ao protagonista N o acaso o filho eterno n o tem, aparentemente, irm os Ele est s em sua busca.Paralelamente, e como um ponto de fuga, o romance acaba tratando da S ndrome de Down os tratamentos, o preconceito, os disfarces dos amigos e para os amigos, etc interessante perceber como o romance todo constru do em torno deste fato e a partir de certo momento o fato simplesmente se perde Como num quadro, Crist v o Tezza desenhou esta trama que parece tragar os leitores interessados apenas nas confiss es de um pai com um filho deficiente O resto da pintura, contudo, a Mona Lisa, que um jeito meio obtuso e exagerado de dizer que se trata do melhor livro brasileiro em muito, muito tempo

  8. Leticia says:

    Eu absolutamente detestei o outro nico livro dele que li, ent o hesitei em come ar esse Foi bom ter desmistificado n o odiei esse, e embora esse pai seja t o dif cil de gostar, a empatia faz com que o cora o doa ao ler a narrativa Muito diferente do Cartas para Julieta ou O que que ele tem, traz a p maternidade n o esperada com outros olhos.

  9. Roberto Denser says:

    O livro bom, muito bom, e tem momentos excepcionais Me tocou um pouco menos que Encontro Marcado que me tocou bastante , mas se tornou uma dessas leituras que vou lembrar com carinho ao longo da vida Queria ter gostado um pouco mais, no entanto.

  10. Shane says:

    Following the Graham Greene adage of writers being born with a splinter of ice in there hearts, Tezza produces a work of clinical cold introspection, of his experience of fathering a child with downs syndrome.The book disects every unspeakable unpleasant human emotion, in the name of artistic truth, and has been applauded for its daring worldwide Truth be told, I found ita reflection of the artist as high functioning sociopath, come narcissistic prick, mining the contents of their existe Following the Graham Greene adage of writers being born with a splinter of ice in there hearts, Tezza produces a work of clinical cold introspection, of his experience of fathering a child with downs syndrome.The book disects every unspeakable unpleasant human emotion, in the name of artistic truth, and has been applauded for its daring worldwide Truth be told, I found ita reflection of the artist as high functioning sociopath, come narcissistic prick, mining the contents of their existence in the name of art, and to be fair Tezza, knows he is , the book bleeds with self loating and self pity , yet strives for some thinguniversal a unvarnished ,biting reflection on the transformative power of love, for me the splinter of ice never truly thawed, there was a cynicism lurking behind the construction of every page that only belongs to a certain type of novelist, which ironically in not as truthfully human as they seem to imagine